Clipping

14/06/18

CLIPPING 14/06/2018

JORNAL DO BRASIL

Receita faz acordo com Anac para facilitar transporte de mercadorias

http://www.jb.com.br/economia/noticias/2018/06/13/receita-faz-acordo-com-anac-para-facilitar

-transporte-de-mercadorias/

Novos aeroportos concedidos poderão ser mais simples para operar
voos low cost

http://www.jb.com.br/economia/noticias/2018/06/13/novos-aeroportos-concedidos-poderao
-ser-mais-simples-para-operar-voos-low-cost/

 

FOLHA DE SÃO PAULO

Sites ajudam a negociar indenização por dano em voo

SÃO PAULO

Novos sites estão oferecendo assistência jurídica a passageiros que buscam indenização por
prejuízos causados em viagens.

As plataformas atendem casos de atrasos ou cancelamentos, overbooking e dano ou extravio
de bagagens. 

“Dificilmente um pedido de desculpas basta para o consumidor que teve seus planos
frustrados”, diz o diretor da Indenizar, Bruno Camargos.

O valor médio da indenização varia de R$ 2.000 a R$ 6.000. As plataformas primeiro negociam
com a companhia, e o serviço só é cobrado se o passageiro for ressarcido –o custo é de até
30% do montante pago pela empresa.

No caso da Quick Brasil, o passageiro prejudicado recebe R$ 1.000 quando cadastra o caso.
Então, a empresa entra com os recursos e fica com o valor recebido da ação, caso seja aceita.

Segundo Bruno Arruda, da Resolvvi, casos de atrasos superiores a quatro horas com perda de
conexão ou da reserva do hotel têm maior chance de sucesso, já que o prejuízo foi maior.

Para demonstrar o dano, os sites exigem que o passageiro tenha pelo menos o comprovante de
passagem e emails que notificam o atraso ou o cancelamento. No caso de overbooking, a
companhia pode oferecer uma carta atestando o problema ou, no extravio da bagagem, ele
deve procurar fazer o Registro de Irregularidade de Bagagem.

É possível mover ações relatando problemas que aconteceram até três anos atrás.

Outras plataformas oferecem serviços similares: Não Voei, Direito do Passageiro e Reclame
Voo.

 

Companhias aéreas tentam combater jet leg com spa em aeroportos

Eric Rosen

NOVA YORK

Um estúdio onde o passageiro pode fazer alongamento. Sessões de meditação orientadas.
Suítes de banho com terapia leve. Isso parece coisa de spa new age. Mas estamos falando do
novo lounge de trânsito internacional da Qantas Airways no aeroporto de Perth. E ele foi
projetado com um propósito em mente: ajudar os passageiros a combater o jet lag.

Essa é uma proposição especialmente relevante para a companhia de aviação australiana, que
em março lançou um voo sem escalas entre Perth e Londres o qual, com 17 horas e 20 minutos
de duração, está entre os mais longos do planeta. A Qantas não está sozinha: a Singapore
Airlines acaba de estrear uma rota recorde que cruza 12 fusos horários, do aeroporto de
Singapura a Newark, Nova Jersey, em um voo de 18 horas e 45 minutos.

Com o número cada vez maior de conexões diretas entre cidades, cada vez mais companhias 

de aviação dotam os seus lounges de recursos de bem estar. E a promoção desses serviços
traz uma mensagem constante: se você quer dormir, dispense o champanhe.

“Os viajantes que fazem nossa rota de Perth a Londres ficam no ar por cerca de 17 horas, e
por isso era importante melhorar sua experiência não só a bordo mas também antes e depois
do voo”, disse Phil Capps, vice-presidente de experiência para o consumidor da Qantas.

O novo lounge de trânsito da empresa, construído especialmente para esse fim, atende apenas
a passageiros de classe executiva na rota Perth-Londres. (Os passageiros Qantas Gold,
Platinum e Platinum One desses voos também têm direito de acesso.) O projeto contou com a
colaboração de cientistas do Centro Charles Perkins, da Universidade de Sydney, um instituto
de pesquisas interdisciplinares que estuda o bem-estar e problemas crônicos de saúde, muitos
dos quais apresentam sintomas semelhantes aos do jet lag.

Como a maior parte dos lounges de primeira linha das companhias aéreas, a nova unidade
inclui serviços de spa e refeições gastronômicas. Mais notáveis são os detalhes que ajudam
na “recuperação de voo” dos viajantes. Um pátio espaçoso conta com teto solar, para permitir
a entrada de luz natural e oferecer mais vitamina D aos passageiros, o que promove um
padrão de sono mais saudável.

As 15 suítes de banho do lounge são essencialmente banheiros privativos com pias mas sem
vasos sanitários, e oferecem iluminação especial: aperte o botão “terapia luminosa/intervenção
no relógio biológico” e a luz do espelho brilhará em uma frequência de cerca de 480
nanômetros, com uma cor azul forte. Esse comprimento de onda torna o passageiro mais alerta
e mais desperto, de acordo com Yu Sun Bin, epidemiologista do Centro Charles Perkins.

“O voo de partida sai de Perth para Londres às 18h”, disse Bin, “o que quer dizer que o relógio
biológico da maioria dos passageiros estará começando a registrar o final do dia”. A luz azul
pode fazer com que o corpo acredite que está vivendo algumas horas mais cedo, mais perto do
horário de Londres - uma maneira discreta de estimular o ritmo circadiano a se adaptar ao fuso
horário de destino um pouco antes.

A Qantas também formou parceria com uma cadeia de spas chamada Bodhi J Wellness Spa
Retreats, de Perth, para criar um estúdio no lounge, em que os passageiros poderão participar
de sessões orientadas de alongamento, respiração e meditação, com 15 minutos de duração.
De acordo com Bin, participar de atividades físicas leves pode elevar a probabilidade de que os
passageiros durmam durante o voo, e reduzir seu jet lag na chegada.

Mesmo o cardápio do lounge é estratégico. Para acompanhar as salsichas produzidas por um
açougue artesanal de Perth, o restaurante oferece crudités (legumes fatiados), com alto teor de
água, e embora haja vinho australiano disponível, os passageiros também encontrarão infusões
de água com murta limão e salsa, sem açúcar, e uma estação que permitirá que preparem seu
próprio chá, com chás e ervas locais.

“Os voos de longa duração significam que os passageiros ficam expostos a níveis mais baixos
de umidade por períodos prolongados, e isso pode resultar em desidratação”, disse Monica
Nour, nutricionista que está fazendo seu doutorado no Centro Charles Perkins. As opções de
bebidas oferecidas não contêm cafeína, ela diz.

“Ao projetar o lounge, trabalhamos com alguns dos melhores cérebros australianos nas áreas
de design, ciência e nutrição, para ajudar nossos passageiros a se sentirem melhor em sua
jornada”, disse Capps, da Qantas.

A companhia está adiante dos concorrentes quanto à ciência do jet lag, mas outras empresas
de aviação já estão dedicando atenção ao assunto.

Em três dos terminais da Delta Airlines, nos aeroportos Kennedy, em Nova York;
Hartsfield-Jackson, em Atlanta; e Seattle-Tacoma International, a empresa formou parcerias
com o Asanda Spa para oferecer massagens nos pés e pernas que ajudam a combater o jet
lag, e tratamentos para os olhos que reduzem a fadiga.

O serviço mais conhecido do spa, a sessão Deepak Chopra Dream Weaver, acomoda o usuário
em uma cadeira de gravidade zero e o equipa com fones de ouvido e visores especiais, para
uma sessão de meditação orientada. “Ainda que não tenha sido especificamente criado para
combater o jet lag, os comentários dos passageiros indicam que isso os ajuda a combater
alguns de seus sintomas, entre os quais o sono ruim”, disse Gene Frisco, diretor executivo do
Asanda Spa.

A Air France fez do wellness a peça central de seu lounge de classe executiva recentemente
expandido no Terminal L do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris. “Nosso novo lounge
executivo tem 550 metros quadrados de espaço de wellness, o que representa a maior área
de wellness entre todos os lounges da Air France”, disse Anne Rigail, vice-presidente executiva
de experiência para o cliente da companhia.

O lounge inclui duas saunas privativas, grandes suítes de banho e um spa Clarins com duas
salas de tratamento, e serviços gratuitos. Também há uma área de relaxamento, com sofás
que permitem sonecas e iluminação especial que simula o céu noturno.

A maioria desses lounges orientados ao wellness deve ter custo mais baixo em sua área de
comida e bebida, porque a ênfase está no chá e não no champanhe.

No novo lounge da Air France, a companhia oferece um bar detox, com chás da Palais des
Thés e água Evian com infusão de verbena e amoras. “Tanto a água quanto os chás que
servimos são hidratantes, revitalizadores e uma fonte rica de antioxidantes que podem
minimizar alguns dos efeitos do jet lag”, disse Rigail. Mas o bar projetado por Mathieu
Lehanneur para o lounge também oferecerá champanhe e vinhos finos, quando for inaugurado
no mês que vem.

Em junho de 2016, os passageiros premium da Cathay Pacific Airways ganharam acesso a um
novo espaço chamado Tea House, em um canto tranquilo do Pier Business Class Lounge, no
aeroporto internacional de Hong Kong.

Criada em parceria com a Jing Teas, a Tea House é adjacente a uma área de relaxamento com
14 leitos diurnos semiprivados, e inclui um acervo de cerca de uma dúzia de misturas de folhas
que o usuário pode escolher pelo cheiro. As descrições destacam os sabores e os benefícios
para a saúde de cada mistura, que variam de melhor digestão (camomila) a ganho de energia
(jasmin agulha prateada). Os chás são preparados por um especialista, de acordo com a
preferência do passageiro.

E há a Qantas, com sua mistura “Rockpool” de rosela, murta limão e chá de laranja. A bebida
talvez não tenha o brilho do champanhe, mas pode ser o truque de que você precisa para
sobreviver a um voo de 17 horas.

 

O ESTADO DE SÃO PAULO

Novos aeroportos concedidos poderão operar voos low cost

https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,novos-aeroportos-concedidos
-poderao-operar-voos-low-cost,70002349451

Após acidente que deixou 112 mortos, companhia cubana reduz
voos nacionais

https://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,apos-acidente-que-deixou-112-mortos
-companhia-cubana-reduz-voos-nacionais,70002349259

 

CORREIO BRAZILIENSE

Novos aeroportos concedidos poderão ser mais simples para voos low cost

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2018/06/13/internas_economia
,688271/novos-aeroportos-concedidos-poderao-ser-mais-simples-para-voos-low-cos.shtml

 

O ESTADO DE MINAS

Receita faz acordo com Anac para facilitar transporte de mercadorias

https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2018/06/13/internas_economia,966685/receita
-faz-acordo-com-anac-para-facilitar-transporte-de-mercadorias.shtml

Novos aeroportos concedidos poderão ser mais simples para operar
voos low cost

https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2018/06/13/internas_economia,966543/novos
-aeroportos-concedidos-poderao-ser-mais-simples-para-operar-voos.shtml

 

G1

Aeroporto de Parnaíba fica sem guarnição dos Bombeiros após
resolução da Anac 

https://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/apos-determinacao-da-anac-aeroporto-de-parnaiba
-fica-sem-guarnicao-dos-bombeiros.ghtml

 

PITV 1ª EDIÇÃO

Decisão da Anac determina redução no número de bombeiros no
Aeroporto de Parnaíba

https://globoplay.globo.com/v/6806945/

 

ÉPOCA NEGÓCIOS

Novos aeroportos concedidos poderão ser mais simples para operar
voos low cost

https://epocanegocios.globo.com/Brasil/noticia/2018/06/epoca-negocios-novos-aeroportos
-concedidos-poderao-ser-mais-simples-para-operar-voos-low-cost.html

 

DCI

Novos aeroportos concedidos poderão ser mais simples para operar
voos low cost

https://www.dci.com.br/servicos/novos-aeroportos-concedidos-poder-o-ser-mais-simples
-para-operar-voos-low-cost-1.714929

Governo quer fazer na 1ª quinzena de dezembro leilão de 13 aeroportos,
diz PPI

https://www.dci.com.br/servicos/governo-quer-fazer-na-1-quinzena-de-dezembro-leil-o-de-13
-aeroportos-diz-ppi-1.714897

 

PANROTAS

Aeroporto de Orlando será o primeiro dos EUA com 100% de biometria

https://www.panrotas.com.br/aviacao/tecnologia/2018/06/aeroporto-de-orlando-sera-o-primeiro
-dos-eua-com-100-de-biometria_156315.html

Azul estreia hoje rota Recife-Mossoró (RN) com 4 frequências semanais

https://www.panrotas.com.br/aviacao/novas-rotas/2018/06/azul-estreia-hoje-rota-recife-mossoro
-rn-com-4-frequencias-semanais_156311.html

Check-in com selfie da Gol ultrapassa 1 milhão de usuários

https://www.panrotas.com.br/aviacao/tecnologia/2018/06/check-in-com-selfie
-da-gol-ultrapassa-1-milhao-de-usuarios_156310.html

Avianca Brasil oferecerá guaraná, coxinha, pão de queijo e brigadeiro

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2018/06/avianca-brasil-oferecera-guarana
-coxinha-pao-de-queijo-e-brigadeiro_156302.html

Voo Rio-Nova York da Delta volta no próximo verão com frequência diária

https://www.panrotas.com.br/viagens-corporativas/aviacao/2018/06/voo-rio-nova-york-da-delta
-volta-no-proximo-verao-com-frequencia-diaria_156306.html

Cápsula de dormir será novidade em aeroportos; conheça

https://www.panrotas.com.br/aviacao/aeroportos/2018/06/capsula-de-dormir

-sera-novidade-em-aeroportos-conheca_156296.html

Delta transportou 17 milhões de passageiros no mês passado

https://www.panrotas.com.br/viagens-corporativas/aviacao/2018/06/delta-transportou
-17-milhoes-de-passageiros-no-mes-passado_156295.html

 

MERCADO E EVENTOS

Avianca terá coxinha e Guaraná em seu serviço de bordo

http://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/avianca-tera-coxinha
-e-guarana-em-seu-servico-de-bordo/

Em um ano, Selfie Check-in da Gol registra um milhão de acessos

http://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/em-um-ano-selfie-check-in-da
-gol-registra-um-milhao-de-acessos/

Abear alerta contra a soltura de balões

http://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/
abear-alerta-contra-a-soltura-de-baloes/

Emirates anuncia operação do A380 em Osaka, Japão

http://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/emirates-anuncia
-operacao-do-a380-em-osaka-japao/

Casa Alitalia é inaugurada no aeroporto Leonardo da Vinci em Roma

http://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/casa-alitalia-e-inaugurada-no-aeroporto
-leonardo-da-vinci-em-roma/

 

VALOR

Governo pretende leiloar aeroportos até o fim do ano 

Por Rafael Bitencourt | De Brasília 

O governo federal mantém a previsão de realizar o leilão de concessão de três blocos de
aeroportos no Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste deve ainda este ano, até o fim da primeira
quinzena de dezembro. A expectativa foi passada ontem pelo secretário de Articulação de
Políticas Públicas do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), Pedro Bruno de Souza.

O modelo de contratação está em audiência pública na Agência Nacional de Aviação Civil
(Anac), que permanecerá aberta para receber contribuições do setor até 13 de julho. Souza
disse que os estudos econômicos já foram enviados ao Tribunal de Contas da União (TCU) há
cerca de 15 dias. 

Ao todo, o governo planeja ofertar a concessão de 13 terminais de passageiros, com prazo
contratual de 30 anos. Ao longo deste período, as operadoras deverão investir cerca de
R$ 3,5 bilhões, se a projeção de demanda de passageiros for confirmada. 

De acordo com as informações do PPI, a soma dos lances mínimos dos três blocos totaliza
R$ 437 milhões. Este valor balizará a competição entre as operadoras aeroportuárias no dia
do leilão. Aquela que oferecer o maior lance por cada bloco vencerá a disputa. 

O maior e mais atrativo bloco de aeroportos é o do Nordeste. O conjunto envolve seis
aeroportos, sendo quatro em capitais. Este bloco abrange as cidades do Recife, Maceió, João
Pessoa, Aracaju, Juazeiro do Norte e Campina Grande. Para o bloco do Nordeste foi fixado um
lance mínimo de R$ 360,4 milhões. A previsão de investimento, em 30 anos, atinge
R$ 2,087 bilhões.

O bloco da regiao Centro-Oeste envolve a concessão dos aeroportos nas cidades de Cuiabá,
Sinop, Rondonópolis, Alta Floresta e Barra do Garças. Foi fixado um lance mínimo de
R$ 10,4 milhões, com previsão de investimento que atinge R$ 791 milhões. Na região Sudeste,
o bloco reúne os aeroportos de Vitória e Macaé. O lance mínimo será R$ 66,8 milhões. O
investimento durante a concessão deverá ser de R$ 644 milhões.

"A gente tem percebido bastante interesse. Existem vários operadores que já atuam com
modelo de blocos em outros países, não é nenhuma jabuticaba que nós estamos criando",
disse Souza, em workshop promovido pelo PPI em parceria com a Anac e o Ministério dos
Transportes Portos e Aviação Civil. 

O diretor de Política Regulatória do Ministério dos Transportes, Ronei Glanzmann, disse que
ouviu de operador aeroportuário que tem interesse em levar os três blocos. O leilão atual,
diferentemente do modelo anterior, não coloca qualquer restrição à apresentação de lances por
quem já opera outro aeroporto ou queira levar mais de uma concessão ofertada.

Os técnicos do governo consideram que a grande novidade da 5ª rodada de concessões de
aeroportos é a flexibilização para pagamento da outorga variável. Além da outorga inicial,
atrelada ao lance dado no leilão, o investidor deverá pagar um valor anual a partir do sexto ano
da assinatura do contrato, calculado por um percentual cobrado sobre faturamento.

O percentual da outorga variável é reduzido, que aumenta do sexto ao décimo ano da
concessão. A ideia é estabelecer uma carência de cinco anos para o novo operador no 

momento em que haverá grande volume de investimentos a ser realizado. A partir do décimo
ano, o governo cobrará um percentual fixo sobre o faturamento até o final da concessão. 

A outorga variável, do 11º até o 30º ano da concessão, será de 16,5% para o bloco do
Nordeste, 2,1% para o bloco do Centro-Oeste e 12,4% para o bloco do Sudeste. O governo
federal espera que a definição de valor de outorga atrelado a faturamento elimine o risco de
dificuldade de pagamento, como ocorreu com as concessões de aeroportos anteriores. 

Glanzmann explicou que a questão da outorga variável é um dos "grandes trunfos" da quinta
rodada de concessões dos aeroportos. Ele esclareceu que, além da outorga variável, o próprio
volume de investimento estará condizente com o faturamento da operação. 

 

Dólar afeta demanda por turismo internacional entre brasileiros 

Por João José Oliveira | Valor 

SÃO PAULO  -  (Atualizada às 16h40) A alta do dólar ao longo deste segundo trimestre já afeta
a demanda do turista brasileiro por viagens ao exterior, apontam executivos do turismo no país.
Os embarques já comprados para a tradicional temporada de verão no Hemisfério Norte estão
mantidos, mas a busca por pacotes para o segundo semestre perdeu tração.

Desde março, o dólar comercial começou a subir — de R$ 3,25 até testar o patamar de
R$ 3,92 em 7 e 8 de junho, uma variação de mais de 20%. Em algumas casas de câmbio, o
dólar turismo chegou a superar os R$ 4,00, também em 7 e 8 de junho, para depois devolver
apenas parte dessa valorização — graças a atuações do Banco Central —, oscilando agora na
casa de R$ 3,70.

“Quando o dólar sobe muito e de forma rápida, os clientes se retraem, esperando um momento
de baixa para fechar o pacote. Por isso, já percebemos o impacto do câmbio na procura por
viagens especialmente por causa da volatilidade”, disse a presidente da Associação Brasileira
das Operadoras de Turismo (Braztoa), Magda Nassar, que representa as operadoras que
fazem 90% das viagens vendidas no país.

Segundo ela, o turista que ainda não comprou a passagem mas que decidiu manter a viagem
está buscando formas de pagamento com parcelamentos mais longos, de até dez vezes, e
explorando promoções que a maior parte das grandes agências está oferecendo. 

Na Assist Card, líder na venda de seguros-viagem no Brasil com mais de 7,5 milhões de vidas
seguradas, o ritmo de crescimento das vendas vem desacelerando desde fevereiro. Depois de
crescer 50% no primeiro bimestre deste ano ante igual período de 2017, a comercialização das
apólices na empresa aumentou 30% em março, depois 15% em abril e maio. 

“Quem já comprou a passagem deve gastar menos no exterior, mas não cancelar a viagem. Se
houvesse casos de desistência, a gente teria percebido aqui porque o seguro-viagem é
comprado pouco antes do embarque. E as pessoas continuam comprando”, disse o diretor da
Assist Card no Brasil, Alexandre Camargo. 

Segundo dados do Banco Central, os gastos de brasileiros no exterior somaram de janeiro a
abril US$ 6,5 bilhões, ante US$ 5,8 bilhões do primeiro quadrimestre de 2017, um avanço de
12%. 

Já os embarques de brasileiros para o exterior de janeiro a abril deste ano cresceram 17%
sobre igual período de 2017, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac),
acompanhando um aumento da oferta de assentos nessas rotas da ordem de 16%. 

Esse movimento reflete ações de aéreas brasileiras e estrangeiras que começaram 2018 com
maior volume de voos e frequências ante 2017. “Depois de aumentar a oferta de voos, as
companhias aéreas precisam ocupar os voos”, disse o presidente da Agaxtur, Aldo Leone, que
faz mais de 70% das vendas para cortes internacionais. 

Segundo o controlador da Agaxtur, companhias aéreas e redes hoteleiras já começaram a
oferecer descontos, em dólar, para que agências de viagens brasileiras possam manter no
varejo os preços em reais. “Isso funciona nesses momentos de volatilidade para que o viajante
possa gastar o mesmo valor em reais”, disse o empresário. 

Na CVC, líder do mercado brasileiro, o câmbio congelado também é uma das armas para
manter as vendas ao exterior, junto com o parcelamento em dez vezes. 

Mas se essa volatilidade do dólar continuar, apontam executivos do setor, parte da demanda
por viagens ao exterior deve migrar de forma mais forte para destinos domésticos. 

“Nosso plano para esse ano era elevar de 15% para 20% a participação do internacional em
nossas vendas. Mas até agora, o percentual caiu para 10%”, disse Eloi Dechery, co-fundador
da Zarpo,  agência de viagens on-line que atua no segmento premium para uma base de seis
milhões de clientes cadastrados. “O tradicional pico de embarques em julho foi afetado porque
muitas vendas são feitas em abril e maio”, disse Dechery.

No Kayak, buscador controlado pela Priceline — maior grupo operadora on-line de turismo no
mundo —, a demanda por destinos domésticos ganhou fôlego em maio. “Em maio, a busca
por destinos nacionais esteve 6% acima da média do primeiro trimestre. Para um período de
um único mês isso é significativo”, disse o diretor do plataforma no Brasil, Eduardo Fleury.

Dos cinco destinos mais buscados pelos usuários do Kayak, quatro são domésticos — São
Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza e Salvador. Apenas Lisboa, em Portugal, aparece nessa lista,
na quarta posição. 

O diretor-executivo da Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas  (Abracorp),
Jahy Carvalho, disse que o setor de viagens de negócios também acusou o impacto do câmbio,
que veio simultâneo a outro evento — a greve dos caminhoneiros, que provocou
cancelamentos. 

“Podemos ver um impacto maior nas vendas para o segundo semestre”, disse Carvalho,
citando a possibilidade de as eleições gerais, marcadas para outubro, provocarem aumento
da incerteza entre os agentes econômicos e impactar as viagens de negócios. 

Segundo Carvalho, as viagens ao exterior representam cerca de 25% das vendas das agências
e operadoras de turismo de negócios que atuam no país. 

 

Cresce demanda por turismo doméstico, diz Expedia 

Por João José Oliveira | Valor 

SÃO PAULO  -  Brasileiros de grandes cidades estão buscando mais municípios do interior do
país para fazer turismo, segundo a Expedia, operadora on-line de viagens. Goiás, Ceará, Piauí
e Maranhão são alguns dos destinos que mais atraem turistas domésticos. 

“Estamos ampliando a oferta de hotéis e propriedades para atender um interesse crescente do
turista brasileiro por destinos domésticos”, disse Marcos Swarowsky, diretor para América latina
da Expedia, grupo americano que faturou US$ 88,4 bilhões em vendas brutas com reservas
vendidas em 2017. 

Dona de marcas como Hoteis.com e Trivago, e de uma fatia minoritária da Decolar.com, a
Expedia realiza cerca de 40% das vendas fora dos Estados Unidos, e o Brasil é um dos
mercados que mais crescem. 

Swarowsky diz que o brasileiro ainda está descobrindo o turismo doméstico, em um movimento
que ganha impulso sempre que o dólar passa por um de ciclo desvalorização ante o real, como
o que estamos vivendo neste semestre. “Nosso desafio é aproveitar esse momentos e 
conquistar a fidelização dos clientes”, disse o executivo. 

Segundo dados do ministério do Turismo, o país recebe cerca de 7 milhões de estrangeiros
por ano, enquanto o turismo doméstico movimenta mais de 200 milhões de viagens internas. 

Enquanto o grupo apurou no primeiro trimestre deste ano um incremento de 15% no mundo
com vendas de reservas de diárias de hotéis, passagens aéreas e pacotes de viagens, no
Brasil a expansão foi de 50% sobre dados de janeiro a março de 2017. 

“Quando identificamos procura maior por determinados destinos vamos a essas regiões para
assinar acordos com mais hotéis e aumentar nossa oferta de hospedagem nessas regiões”,
disse Swarowsky. Ele assumiu o cargo há dois meses, depois de dirigir no Brasil as filiais da
AOL e da Microsoft. 

Entre as cidades de onde partem as buscas por reservas, os mercados que apresentaram
maior crescimento no primeiro trimestre de 2018 ante igual período do ano passado foram Rio
de Janeiro, com avanço de 60%; São Paulo, com aumento de 52%; e Curitiba, com procura
50% maior.  

Já entre os destinos brasileiros com maior aumento em demanda aparecem Goiás, com alta
de quase 320%; Ceará, Piauí e Maranhão, com variações de quase 245%; e cidades, como
Torres (RS), com crescimento de mais de 190%. 

Swarowsky disse que  a Expedia planeja elevar investimentos em marketing este ano para
aumentar a visibilidade das marcas, como as do próprio site Expedia e da Hoteis.com. No
ano passado, o grupo gastou US$ 5,2 bilhões em despesas comerciais e de marketing. A
empresa não revela dados por país. 

 

 


abear no facebook

abear no twitter

São Paulo

Av. Ibirapuera, 2332 - Conj. 22 - Torre Ibirapuera I
04028-002 | Moema | São Paulo/SP
+ 55 11 2369-6007

Rio de Janeiro

Av. Marechal Câmara, 160 - Edifício Orly, 8º andar, Sala 832
20020-080 | Centro | Rio de Janeiro/RJ
+ 55 21 2532-6126

Brasília

SAUS Quadra 1 - Bloco J , 10/20 - Edifício CNT - Sala 506
70070-944 | | Brasília/DF
+ 55 61 3225-5215

(default) 11 queries took 0 ms
NrQueryErrorAffectedNum. rowsTook (ms)
1SELECT `Configuracao`.`id`, `Configuracao`.`tag_title`, `Configuracao`.`tag_keywords`, `Configuracao`.`tag_description`, `Configuracao`.`facebook`, `Configuracao`.`logo_file`, `Configuracao`.`logo_th_hidden`, `Configuracao`.`twitter`, `Configuracao`.`youtube`, `Configuracao`.`linkedin`, `Configuracao`.`google_analytics`, `Configuracao`.`email_destinatario`, `Configuracao`.`email_cc`, `Configuracao`.`email_remetente_host`, `Configuracao`.`email_remetente`, `Configuracao`.`email_remetente_senha` FROM `abear_2014`.`tb_configuracoes` AS `Configuracao` WHERE 1 = 1 LIMIT 1110
2SELECT `Endereco`.`id`, `Endereco`.`logradouro`, `Endereco`.`numero`, `Endereco`.`complemento`, `Endereco`.`bairro`, `Endereco`.`cep`, `Endereco`.`cidade`, `Endereco`.`estado`, `Endereco`.`telefone1`, `Endereco`.`telefone2`, `Endereco`.`fax`, `Endereco`.`email_rodape`, `Endereco`.`ativo`, `Endereco`.`ordem` FROM `abear_2014`.`tb_enderecos` AS `Endereco` WHERE 1 = 1 ORDER BY `Endereco`.`ordem` ASC330
3SELECT `Hotsite`.`id`, `Hotsite`.`premio_de_jornalismo_abear_titulo_ptbr`, `Hotsite`.`premio_de_jornalismo_abear_titulo_eng`, `Hotsite`.`premio_de_jornalismo_abear_titulo_esp`, `Hotsite`.`premio_de_jornalismo_abear`, `Hotsite`.`agencia_abear_titulo_ptbr`, `Hotsite`.`agencia_abear_titulo_eng`, `Hotsite`.`agencia_abear_titulo_esp`, `Hotsite`.`agencia_abear`, `Hotsite`.`clube_abear_titulo_ptbr`, `Hotsite`.`clube_abear_titulo_eng`, `Hotsite`.`clube_abear_titulo_esp`, `Hotsite`.`clube_abear`, `Hotsite`.`tudo_para_voar_melhor_titulo_ptbr`, `Hotsite`.`tudo_para_voar_melhor_titulo_eng`, `Hotsite`.`tudo_para_voar_melhor_titulo_esp`, `Hotsite`.`tudo_para_voar_melhor`, `Hotsite`.`transporte_de_orgaos_titulo_ptbr`, `Hotsite`.`transporte_de_orgaos_titulo_eng`, `Hotsite`.`transporte_de_orgaos_titulo_esp`, `Hotsite`.`transporte_de_orgaos`, `Hotsite`.`asas_do_bem_titulo_ptbr`, `Hotsite`.`asas_do_bem_titulo_eng`, `Hotsite`.`asas_do_bem_titulo_esp`, `Hotsite`.`asas_do_bem`, `Hotsite`.`aviacao_em_debate_titulo_ptbr`, `Hotsite`.`aviacao_em_debate_titulo_eng`, `Hotsite`.`aviacao_em_debate_titulo_esp`, `Hotsite`.`aviacao_em_debate`, `Hotsite`.`quero_voar_titulo_ptbr`, `Hotsite`.`quero_voar_titulo_eng`, `Hotsite`.`quero_voar_titulo_esp`, `Hotsite`.`quero_voar`, `Hotsite`.`created`, `Hotsite`.`modified` FROM `abear_2014`.`tb_hotsites` AS `Hotsite` WHERE 1 = 1 ORDER BY `Hotsite`.`id` DESC LIMIT 1110
4SELECT `IntroCategoria`.`id` FROM `abear_2014`.`tb_intro_categoria` AS `IntroCategoria` WHERE `url_amigavel_ptbr` = 'clipping' LIMIT 1000
5SELECT `Intro`.`id`, `Intro`.`texto_ptbr` FROM `abear_2014`.`tb_intro` AS `Intro` LEFT JOIN `abear_2014`.`tb_intro_categoria` AS `IntroCategoria` ON (`Intro`.`intro_categoria_id` = `IntroCategoria`.`id`) WHERE `intro_categoria_id` IS NULL AND `ativo` = '1' LIMIT 1000
6SELECT `VideoCategoria`.`id`, `VideoCategoria`.`nome_ptbr`, `VideoCategoria`.`nome_eng`, `VideoCategoria`.`nome_esp`, `VideoCategoria`.`url_amigavel_ptbr`, `VideoCategoria`.`url_amigavel_eng`, `VideoCategoria`.`url_amigavel_esp`, `VideoCategoria`.`created`, `VideoCategoria`.`modified` FROM `abear_2014`.`tb_video_categorias` AS `VideoCategoria` WHERE `url_amigavel_ptbr` = 'clipping' LIMIT 1000
7SELECT `GaleriaCategoria`.`id`, `GaleriaCategoria`.`nome_ptbr`, `GaleriaCategoria`.`nome_eng`, `GaleriaCategoria`.`nome_esp`, `GaleriaCategoria`.`url_amigavel_ptbr`, `GaleriaCategoria`.`url_amigavel_eng`, `GaleriaCategoria`.`url_amigavel_esp`, `GaleriaCategoria`.`created`, `GaleriaCategoria`.`modified` FROM `abear_2014`.`tb_galeria_categoria` AS `GaleriaCategoria` WHERE `url_amigavel_ptbr` = 'clipping' LIMIT 1000
8SELECT `Clipping`.`id`, `Clipping`.`titulo_ptbr`, `Clipping`.`texto_ptbr`, `Clipping`.`url_amigavel_ptbr`, `Clipping`.`data` FROM `abear_2014`.`tb_clipping` AS `Clipping` WHERE `Clipping`.`ativo` = '1' AND `Clipping`.`titulo_ptbr` <> '' ORDER BY `Clipping`.`data` DESC LIMIT 1110
9SELECT `Clipping`.`id`, `Clipping`.`url_amigavel_ptbr` FROM `abear_2014`.`tb_clipping` AS `Clipping` WHERE `Clipping`.`url_amigavel_ptbr` <> '' AND `Clipping`.`id` <> 482 AND `Clipping`.`id` < 482 ORDER BY `Clipping`.`id` DESC LIMIT 1110
10SELECT `Clipping`.`id`, `Clipping`.`url_amigavel_ptbr` FROM `abear_2014`.`tb_clipping` AS `Clipping` WHERE `Clipping`.`url_amigavel_ptbr` <> '' AND `Clipping`.`id` <> 482 AND `Clipping`.`id` >= 481 AND `Clipping`.`id` != 482 ORDER BY `Clipping`.`id` ASC LIMIT 2110
11SELECT `Clipping`.`titulo_ptbr`, `Clipping`.`url_amigavel_ptbr` FROM `abear_2014`.`tb_clipping` AS `Clipping` WHERE `Clipping`.`id` <> 482 AND `Clipping`.`ativo` = '1' AND `Clipping`.`titulo_ptbr` <> '' ORDER BY `Clipping`.`data` DESC LIMIT 1010100