Antes da viagem

Antes da viagem

O ideal é fazer o check-in online no site ou no aplicativo da companhia aérea, que vai gerar um cartão de embarque digital que fica no seu celular. Se precisar do atendimento no balcão, algumas companhias já oferecem o serviço de check-in remoto, por videoconferência e sem contato entre funcionário e passageiro. Neste sistema, é possível despachar a bagagem, e o cartão de embarque chega para o cliente no celular, por meio do aplicativo da companhia. Enquanto aguarda o atendimento na fila, respeite o distanciamento de 2 metros das outras pessoas, que geralmente está sinalizado com adesivos no chão.

As regras para a bagagem de mão seguem as mesmas, pois se trata de um item pessoal e que só o próprio passageiro tem contato. Quanto menor a sua mala, mais rápido será o seu procedimento de embarque, e ainda reduz as chances de ter que despachar o item de última hora no portão. É importante esclarecer que nem bagagens de mão nem as despachadas passam por procedimento de higienização nos aeroportos.

Sim. A máscara é um item essencial para reduzir o risco de infecção pelo novo coronavírus. Ela é de uso obrigatório em aeroportos e dentro dos aviões, exceto no caso de crianças entre 0 e 2 anos. O passageiro é o responsável por levar as máscaras que vai usar — o item não é distribuído pelas companhias e nem vendido na hora do check-in ou a bordo. A máscara deve ser usada da maneira correta, cobrindo completamente o nariz e a boca e sem folgas nas laterais. É importante também que o passageiro observe o tempo máximo de uso da máscara que escolheu e que leve extras para a troca ao longo da viagem. No caso das máscaras de pano, por exemplo, recomenda-se a troca a cada 3 horas de uso ou se estiver úmida.

Veja neste vídeo como o uso da máscara reduz o risco de transmissão do coronavírus.

Com o agravamento da pandemia, a Anvisa estabeleceu regras mais rígidas para uso de máscaras em aeroportos e aviões. Confira:

– Podem ser utilizadas versões de tecido (recomendável 3 camadas) ou de uso profissional, como as cirúrgicas e as N95/PFF2. Em qualquer caso, sem válvula;

– Lenços, bandanas, máscaras de acrílico ou de plástico não são permitidas;

– Protetor facial (face shield) só pode ser usado com máscara por baixo;

– A máscara deve estar ajustada ao rosto, cobrindo o nariz e boca, sem aberturas. Recomenda-se a troca a cada 3 horas de uso;

– Ficam liberadas de usar máscara apenas crianças menores de 3 anos e pessoas com deficiências que impeçam o uso adequado da proteção;

– Em viagens nacionais, só se pode tirar a máscara no avião para hidratação ou para alimentar crianças menores de 12 anos, idosos e pessoas com necessidades especiais.

Para evitar transtornos, verifique antecipadamente as suas opções com a companhia.

(Fonte: RDC nº 477, de 11/3/21)

As equipes que trabalham a bordo recebem um kit contendo máscara e luvas antes de cada voo. Com relação às máscaras, o que vale para os passageiros também vale para a tripulação: o uso é obrigatório durante toda a viagem e também no aeroporto. Os comissários usam as luvas sempre que é necessário ter contato com os passageiros ou outras pessoas, como na realização de procedimentos em solo. Também é disponibilizado aos tripulantes álcool em gel para a higiene constante das mãos.

A partir de 30/12/2020, em voo do exterior ao Brasil, todo viajante (brasileiro ou estrangeiro, incluindo tripulantes) deverá apresentar à companhia antes do embarque:

Comprovante de teste RT-PCR (Covid-19)

  • Com resultado negativo/não reagente, realizado nas 72 horas anteriores ao embarque – esse procedimento é válido para qualquer pessoa a partir de 12 anos;
  • O documento deve ser apresentado em português, espanhol ou inglês e  deve ser realizado em laboratório reconhecido pela autoridade de saúde do país estrangeiro;
  • Em caso de voo com conexões ou escalas em que o viajante permaneça em área restrita do aeroporto, ou seja, não sendo necessário novo check-in, o prazo de 72 horas deve ser considerado apenas para o pré-embarque do 1º trecho da viagem;
  • O viajante que realize migração que ultrapasse 72 horas desde a realização do teste RT-PCR deve apresentar novo exame com resultado negativo/não reagente no check-in para o embarque ao Brasil;
  • Crianças com idade inferior a 12 anos, viajando acompanhadas, estão isentas de apresentar o resultado do exame, desde que todos os acompanhantes o façam;
  • Crianças com idade entre 2 e 12 anos, viajando desacompanhadas, devem apresentar o resultado do exame negativo/não reagente;
  • Apenas crianças com idade igual ou inferior a 2 anos estão isentas de apresentar resultado de RT-PCR para viagem ao Brasil.

Declaração de Saúde do Viajante (DSV)

  • O documento será disponibilizado em três idiomas: português, espanhol e inglês, sendo um link para cada idioma;
  • Os links para acesso estarão disponíveis no Portal da Anvisa: https://www.gov.br/anvisa/pt-br;
  • O viajante deve realizar um pré-cadastro, com nome, sobrenome e e-mail no link do idioma de preferência. Em seguida, o sistema encaminhará de forma automática um e-mail com novo link que dará acesso ao formulário. Antes de iniciar o preenchimento do formulário, o viajante deverá concordar com as condições sanitárias que são apresentadas. Após o preenchimento do formulário o viajante deve clicar em enviar. Caso desejado, as respostas do viajante poderão ser impressas. Ao final, o viajante receberá um novo e-mail comprovando o preenchimento da DSV;
  • O preenchimento do formulário deve ser concluído dentro das últimas 72 horas que antecedem o embarque para o Brasil;
  • Todos os viajantes (passageiros ou tripulantes), independentemente da idade e da nacionalidade, devem ter o formulário preenchido;
  • Para menores de 18 anos, seu responsável é quem deve preencher e enviar o formulário;
  • Os tripulantes devem preencher a DSV a cada novo voo internacional com destino ao Brasil;
  • Para realização de check-in (pré-embarque), o viajante deverá apresentar à operadora do transporte aéreo o documento de comprovação de preenchimento da DSV, de forma impressa ou digital, recebida no email cadastrado.

Em caráter temporário:
A partir de 25/12/2020, ficam proibidos voos internacionais com destino ao Brasil que tenham origem ou passagem pelo Reino Unido da Grã-Bretanha, Irlanda do Norte e África do Sul; e fica suspensa a autorização de embarque para o Brasil de viajante estrangeiro, procedente ou com passagem pelo Reino Unido da Grã-Bretanha, Irlanda do Norte e África do Sul nos últimos quatorze dias.

Fonte: PORTARIA Nº 648, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2020
Consulte: https://www.in.gov.br/web/dou/-/portaria-n-648-de-23-de-dezembro-de-2020-296122366

No embarque

No embarque

Em primeiro lugar, vale chegar com mais antecedência. Por causa dos novos controles sanitários, você pode levar mais tempo para acessar a área de embarque. Cada companhia tem adotado um método de embarque para garantir o conforto e a segurança dos passageiros. Forme fila apenas quando o seu grupo for chamado. Mantenha sempre uma distância segura dos demais passageiros, evitando aglomerações.

Pode, sim… e deve! A higiene das mãos com álcool em gel faz parte do conjunto de precauções para reduzir o risco de contágio. Só precisa seguir as regras de transporte deste tipo de substância nos voos. Para uso dentro do avião, a Anac autoriza que o passageiro leve na mala de mão até 500ml do produto em voos nacionais. Mas algumas companhias aéreas recomendam que se leve 100ml por pessoa, sempre no frasco original. Portanto, sempre consulte a companhia antes da viagem, para não ser barrado.

Em trajetos internacionais, o máximo permitido de álcool gel é de 100ml, transportado no frasco original, feito de plástico transparente, e transportado dentro de um saquinho hermeticamente fechado que comporte no máximo 1L. Por conta da pandemia, regras especiais foram adotadas pelos órgãos responsáveis pelos aeroportos e, por enquanto, é permitido levar álcool líquido apropriado para a limpeza das mãos dentro no avião, seguindo as mesmas regras do álcool gel.

Sempre verifique se o fechamento do recipiente funciona bem, para evitar vazamentos. As companhias aéreas também disponibilizam recipientes de álcool em gel dentro das aeronaves, facilitando o acesso ao produto.

Os aeroportos estão reforçando as rotinas de limpeza e adotando medidas para reduzir o contato dos passageiros e, assim, os riscos de contaminação. A sinalização trará orientações sobre o distanciamento de 2 metros em filas e espaços comuns, como praças de alimentação. Alguns assentos da área de embarque ficam bloqueados para aumentar a distância entre os passageiros que aguardam o voo. Familiares e motoristas não poderão mais acompanhar ou aguardar passageiros nos aeroportos para evitar aglomerações no saguão.

Assim como dentro o avião, nos aeroportos é obrigatório o uso de máscara por todos: passageiros e funcionários. Quem trabalha nos terminais também pode usar roupas especiais, luvas e outros equipamentos de proteção individual a depender da função que desempenha. As rotinas de limpeza foram reforçadas, especialmente em locais de maior contato, como elevadores, corrimãos, braços de cadeiras, carrinhos de bagagem, passadores de escadas rolantes, bebedouros e maçanetas das portas dos banheiros. Há recipientes com álcool em gel em diversos pontos dos aeroportos e também diversos locais para lavar as mãos com água e sabão.

Dentro do avião

Dentro do avião

A cada novo embarque, o que inclui escalas e conexões, todo o interior do avião passa por uma cuidadosa limpeza. São desinfetadas com produtos específicos todas as superfícies que o passageiro possa ter contato: braços e encosto dos assentos, painéis com saída de ar-condicionado, luz individual e chamada de comissários, mesinha, telas, cinto de segurança, compartimento de bagagem, maçanetas, banheiros e etc. Durante o período de emergência sanitária, os bolsões nas poltronas terão apenas os cartões com as informações de segurança, que também passam por limpeza a cada novo embarque.

Por recomendação das autoridades, as companhias aéreas tiveram que simplificar seu serviço de bordo e suspender as vendas de produtos nos voos. A medida se fez necessária para evitar a circulação de pessoas dentro do avião e para reduzir o manuseio de embalagens e o contato entre passageiros e tripulação. O passageiro que quiser água pode pedir aos comissários e receberá água mineral em copo descartável lacrado. Em viagens mais longas, é oferecida comida em embalagem individual, fechada e previamente higienizada, geralmente entregue no embarque.

A qualidade do ar é uma preocupação das companhias aéreas desde antes da pandemia. Os aviões são equipados com um sistema de filtragem tão eficiente que é usado também pelos hospitais. O ar é renovado a cada 2-3 minutos, e os filtros eliminam mais de 99% dos vírus e bactérias, incluindo o novo coronavírus. As companhias aéreas também reforçaram seus procedimentos de higienização das aeronaves, seguindo as orientações das autoridades sanitárias. Mesmo assim, não dispense a máscara, que reforça sua segurança e é obrigatória durante todo o voo.

O ar dentro do avião é renovado completamente a cada 2-3 minutos, muito mais rápido do que em outros ambientes fechados. Para se ter uma ideia, nos hospitais, essa renovação ocorre a cada 10 minutos, e nos escritórios, a cada 20. Soma-se a isso o fato de o ar dentro do avião ser extremamente limpo. O sistema de circulação mistura ar puro, que vem de fora da aeronave, com ar da cabine que é renovado após passar pelos filtros HEPA, capazes de capturar e eliminar mais de 99% dos vírus e bactérias. Esses filtros captam micro-organismos de até 0,01 micrômetros – o coronavírus varia de 0,08 a 0,16 micrômetros. Além disso, o ar circula dentro da cabine do teto para o chão, o que dificulta o movimento deste tipo de partícula entre as fileiras de passageiros. Estudo da IATA mostrou que esses e outros fatores tornam o interior dos aviões um ambiente de baixo risco de contaminação. A entidade aponta ainda que, na cabine, os passageiros estão sentados todos na mesma direção, a interação face a face é muito limitada e o encosto das poltronas funciona como uma barreira física entre as fileiras.

Assista aos vídeos da Boeing e da Airbus que mostram o funcionamento dos filtros HEPA nos aviões.

Não precisa, pois os banheiros não apresentam maior risco. Assim como os outros locais da cabine, eles passam por desinfecção a cada novo embarque, e o ar nos toaletes também é renovado e passa pelos filtros HEPA. Vale reforçar que é preciso higienizar as mãos antes e depois de usar o banheiro, com água e sabão ou álcool em gel.

No desembarque

No desembarque

Não fique de pé assim que o avião pousar. Para evitar esse tipo de aglomeração, as autoridades orientam que o desembarque seja realizado por fileiras. Aguarde sentado, pois os comissários vão avisar quando chegar sua vez de se levantar para sair da aeronave. Familiares e motoristas não poderão mais receber os passageiros dentro do aeroporto.

É importante que os passageiros também observem o distanciamento quando forem pegar as malas, evitando que todos fiquem juntos ao mesmo tempo em torno das esteiras. Se possível, toque apenas na alça da sua bagagem e faça a higienização dela assim que retirar da esteira, pois as malas despachadas não passam por desinfecção nos aeroportos.

Fontes: ANAC, ANVISA, companhias aéreas, Airbus e Boeing

Precisa reprogramar sua viagem? Confira suas opções

Desde 1º de janeiro de 2022, as regras para remarcação e reembolso de passagens aéreas voltaram a ser aquelas previstas na Resolução 400 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que estava em vigor antes da pandemia de COVID-19. Isso significa que, dependendo do tipo de tarifa comprada, pode haver multa para alterar ou cancelar seu voo, e que os pedidos de reembolso devem ser pagos em até 7 dias (e não mais em 12 meses, como determinava a lei que valeu até 31 de dezembro de 2021). Já em casos de voos cancelados pela companhia aérea, o passageiro tem direito ao reembolso total ou acomodação em outro voo.

No momento da compra, vale sempre verificar as regras das tarifas disponíveis e escolher a mais adequada para o seu perfil – se quiser ter mais flexibilidade, considere as opções mais completas, que, além de bagagem e marcação antecipada de assento, têm menos penalidades em caso de alterações e cancelamento. Confira o texto da Resolução 400 da Anac na íntegra.

Fale com as companhias

ATENÇÃO: para reprogramar passagens compradas em agências de viagens, entre em contato com a sua agência.

Ainda não resolveu?

Você ainda pode abrir um caso no canal oficial Consumidor.gov.br

Você relata o que aconteceu e solicita o que acha justo

A empresa responde, acatando ou não a sua queixa

Você avalia o retorno que recebeu

Órgãos de defesa do consumidor monitoram o caso

Outros consumidores podem tomar decisões de compra com base na sua experiência